Busca Avançada
Praia da Raposa
Região: Praia da Raposa
Litoral Sul a 32.0 km do centro.

A praia da Raposa esta localizada dentro de uma área reconhecida como o primeiro Quilombo do Litoral Norte Paulista. Área de rara beleza e que mantém laços estreitos com a formação civilizatória nacional, num dos municípios mais antigos das Américas.
Detentor de historias fantásticas e merecedor do reconhecimento destas populações no processo de formação do país. Essa é uma trilha histórica com uma beleza selvagem, ruínas da época da escravidão, restos de construções de casas, antigas roda d’água e pilastras, povo guerreiro.
O acesso até este pedaço de paraíso pode ser realizado de barco ou trilha. De nível médio a difícil, o visitante pode sair da barra da Maranduba de barco ou seguir a pé ou de carro até a Praia da Caçandoca seguindo pela praia da Caçandoquinha.
Acima da praia da Raposa é possível encontrar moradores em casas de pau-a-pique e barro, ainda sem provimento de energia elétrica.
A praia de tombo (peral) cercada por altos costões e tem por vezes o mar tranqüilo. Muitas lendas e histórias aconteceram no local. Uma delas é de um escravo que costumava fugir dos maus tratos subindo em uma pedra alta que existe no canto direito da praia, depois não se sabe o que acontecia como o escravo.
Com um visual maravilhoso de praia intocada, o aspecto de selvagem aguça as mais variadas imaginações. Ao fundo a bela mata atlântica que foi preservada até hoje pelos moradores tradicionais, índios e negros, que dentro do manejo tradicional entende que é necessário preservar para ser utilizada, sem destruir é claro. Ao redor lindas orquídeas, bromélias e heliconias dão o ar da graça e beleza ao lugar. É fácil ouvir pássaros e animais na localidade. Arvores frutíferas tem destaque na floresta, são elas que alimentam os pássaros, arvores como as jaqueiras, goiabeiras, jabuticabeiras, bananeiras, entre outras. Não é a toa que a região foi batizada de paraíso dos aromas e sabores, em vários trechos da trilha é possível sentir um aroma adocicado das frutas maduras.
O nome raposa possivelmente venha do nome de um antigo proprietário, ainda no período do império. A fazenda da raposa pertencia ao senhor Domingos Raposa que foi vendida para a família Antunes de Sá.
No seu canto esquerdo uma costeira muito conhecida por pescadores de final de semana, que em épocas de mar bravo proporciona um espetáculo a parte. O local deve ser apreciado com muito cuidado, trata-se de um trecho perigoso e como canja de galinha e precaução não faz mal a ninguém, é bom respeitar o espaço. Mesmo para quem esta acostumado com o lugar, à praia é ideal para recarregar as baterias.
O local possui água doce e ótimo para mergulhar com snorkel, porem é recomendável o acompanhamento de um morador ou guia local. O som do mar batendo nas pedras, a areia branca limpa e saudável do lugar nos remetem a um sabor de vida diferenciado. Importante é manter o local limpo e respeitar as pessoas que lá vivem de dependem dos recursos naturais a sua sobrevivência. Mais é curtir esta beleza que Deus nos deu e que os quilombolas de lá mantiveram para nosso conhecimento e prazer. O sossego é garantido e a vontade de não ir embora também. Juízo e bom passeio!

Fonte: Ezequiel dos Santos