Busca Avançada
Notícias de Ubatuba
Entrevista - 26/10/2018
Após 23 anos, Ubatuba ganha sede da Escolinha de Surfe no Perequê-Açu
Emoção marcou cerimônia que integrou comemoração aos 381 anos de Ubatuba

Cerca de 100 pessoas, entre autoridades e munícipes, compareceram à orla do Pereque Açu na manhã de quinta-feira, 25, para presenciar um momento esperado por muitos atletas, professores e amantes do surfe em Ubatuba: a inauguração da primeira sede da Escolinha Municipal da modalidade. Esse era um sonho dos precursores das aulas no município e foi um dos itens mais aguardados dentre todos que compõem a programação de Aniversário de 381 anos de emancipação político administrativa da cidade.

As obras tiveram início em maio de 2017 e foram realizadas pela Empresa Municipal de Desenvolvimento Urbano - Emdurb. Trata-se de um convênio entre a Prefeitura de Ubatuba, a Caixa Econômica Federal e o Ministério dos Esportes, totalizando um investimento de R$ 413.029,16, que ainda contemplará mais uma unidade.

A antiga emenda, juntamente com uma verba do Dade, viabilizaria três unidades (Pereque Açu, Praia Grande e Sapê). Porém, como alguns recursos foram perdidos anteriormente, houve remanejamento que permitirá a construção, inicialmente, só nos dois primeiros locais. Entretanto, o coordenador do setor de surfe da secretaria de Esportes e Lazer da Prefeitura, Fábio Lima, mais conhecido como Fabinho, garantiu que o desejo é batalhar para que não só a unidade do Sapê saia, mas também, em locais onde há ações do Surf, como Itamambuca e Camburi – este último onde são atendidos cerca de 50 alunos.

O objetivo é que a sede também sirva de apoio para outras modalidades, como voleibol e futebol, funcionando como depósito de materiais como redes e bolas

Solenidade

Representando os alunos, Maria das Dores expressou seus agradecimentos à escolinha, pois foi por meio dela que a aprendiz melhorou sua qualidade de vida - após sofrer um AVC e passar por cirurgia de ponte de safena. “Sou aluna da escolinha desde 2011. Decidi entrar para melhorar meu equilíbrio e condição física. Funcionou. Agradeço ao Jacob, que me aceitou como aluna e enfatizou que não existe limite de idade; ao professor Guilherme e a todos os professores que sempre são muito pacientes. Sou muito grata e ainda pretendo ficar muitos anos”, compartilhou.

Fabinho, lembrou, com emoção, um pouco da trajetória dos idealizadores da sede e, também, do desafio para que esse projeto que está em mãos desde 2013 saísse do papel.

“Essa é a segunda data mais importante da minha vida, como pessoa e como profissional. Sou servidor público há 25 anos e tem muito servidor público bom que ama o que faz e honra o salário que recebe”, afirmou.

»Sei que tudo acontece no tempo certo e hoje é realidade. Isso é resultado de um trabalho e de não de abrir mão de um sonho. Agradeço cada um dos profissionais que trabalham na equipe do surfe e, se hoje posso atuar na parte administrativa é porque sempre tive uma ótima equipe. Hoje temos ex-alunos que são professores e, também, temos grandes profissionais do esporte que passaram pela escolinha. Mas nosso objetivo principal não é que virem surfistas, queremos que se tornem grandes seres humanos”, acrescentou o coordenador.

O secretário de Esportes e Lazer, José Alberto Jacob, foi um dos primeiros instrutores de surfe na cidade. “Em abril de 1995, demos a nossa primeira aula na Praia Grande. O esporte era marginalizado, surfista era taxado de várias coisas. A gente amassou muito barro para hoje o esporte ser digno e ser capaz de sustentar famílias, levando o nome de Ubatuba para o mundo. Agradeço ao prefeito Sato por hoje realizar um dos meus grandes sonhos”, comemorou Jacob.

O embaixador do surfe de Ubatuba e representante da Associação Ubatuba de Surf (Aus), Zecão Rennó, também relembrou os momentos iniciais do surfe em Ubatuba. “É uma conquista muito grande para Ubatuba. Toda essa história só pôde ser concluída porque houve pessoas que foram atrás e o Sato acreditou. Com certeza, a sede vai permitir que a gente evolua mais no esporte. Vamos marcar Ubatuba como verdadeira Capital do Surfe”, frisou.

O presidente da Câmara de Vereadores, Silvinho Brandão, parabenizou a todos e solicitou aos parlamentares Bibi Índio e Rochinha do basquete, que tiveram participação na conquista, quefizessem uso da palavra.

Bibi comentou que foi procurado por Fabinho em seu primeiro mandato, em 2013, pois era necessário que alguém encabeçasse a ação. “Agradeço por ter confiado em mim e, ao prefeito, por dar continuidade à realização. É uma grande satisfação participar da inauguração da obra.”

Rochinha falou sobre a dedicação e empenho do Fabinho e demais profissionais, principalmente, durante o período em que acompanhou de perto – sendo funcionário da secretaria. “O Fabinho assumiu como coordenador do setor e fez esse lindo trabalho, que hoje é realidade”, reconheceu.

A Bi-campeã brasileira da modalidade, Suelen Naraisa, disse ser uma honra participar da inauguração e valorizou o trabalho dos precursores, destacando toda a formação que teve na escolinha, não só como atleta, mas como profissional de Educação Física que, atualmente, ministra aulas e utiliza todo o aprendizado e referências que adquiriu em sua base.

O vice-prefeito e secretário de Assistência Social, Jurandir de Oliveira Veloso “Pelé” compartilhou, também emocionado, um episódio que demonstra a importância do esporte na cidade. Ele relatou que pais de um jovem o encontraram e garantiram que o trabalho desenvolvido pela escolinha foi fundamental para salvar o filho deles das drogas.

O prefeito Délcio Sato (PSD) contou o fundo de cena da empreitada a fim de retomar a verba dos convênios e disse que não basta somente ser prefeito, mas é preciso ter experiência, conhecimento e contatos.

“Essa conquista foi algo que queríamos que acontecesse e você, Fabinho, deu ânimo para essa realização. Hoje, na inauguração, os presentes não têm noção dos bastidores. Eu quero deixar um legado e já estou deixando. Estou levando com seriedade, sanando as contas e avançando”, garantiu.

Sato ainda lembrou que são quase cinco mil alunos atendidos pelo contraturno na cidade – 600 pela escolinha de surfe. O prefeito também aproveitou a presença de membros da Associação das Pessoas com Deficiência do Litoral Norte - Apedel e comentou sobre o projeto Inclusão é Nossa Onda, que ainda vai ser oficializado. Trata-se de uma realização da secretaria municipal de Esportes e Lazer, em parceria com a Educação e a Saúde, juntamente com instituições que representam pessoas com deficiência na cidade, que visa oferecer às pessoas com deficiência que residem em Ubatuba um trabalho efetivo e rotineiro de atividade física, recreação e lazer, com aulas semanais, promovendo a inclusão, a reabilitação e a promoção da saúde.

Homenagens

Em seguida, Fabinho entregou uma camiseta da Escolinha para o prefeito e para a atleta Suelen Naraisa. A voluntária Andrea Cunha Carreiro ofereceu um mural de fotos da ação de Dia das Crianças para ser colocado na sede.

A placa foi descerrada e o prefeito Sato fez a entrega de uma miniatura para o coordenador de surfe. Todos seguiram para acompanhar um plantio comemorativo de uma pitangueira próximo à sede e, posteriormente, descerrar a fita inaugural do prédio.

Também como parte do evento, um estande do Instituto Argonauta permaneceu na praia durante todo o dia com informações sobre animais marinhos e profissionais e, ainda, responsável por promover uma ação de coleta de lixo no Pereque Açu.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social / PMU
Fonte: Secretaria de Comunicação Social / PMU