Busca Avançada
Notícias de Ubatuba
Entrevista - 02/03/2018


Aplicação do veneno BTI em Ubatuba continua
Chuvas atrapalham eliminação das larvas

Equipes da Vigilância em Saúde de Ubatuba continuam a realizar a aplicação do veneno BTI, que elimina larvas de borrachudos. Os trabalhos acontecem no interior da mata, junto às nascentes dos rios.

As equipes começaram a aplicação do larvicida pela região sul de Ubatuba, desde o Sertão da Quina, passando por Corcovado, Lagoinha e região da praia do Bonete, Grande do Bonete e Fortaleza, Lázaro, Domingas Dias, Pedra Verde e Perequê-Mirim. Já na região central e Oeste, os pontos de aplicação são Horto e Taquaral. No extremo Norte, a aplicação é feita desde a divisa com o Rio de Janeiro, começando pelo Camburi, Picinguaba e Estaleiro.

Porém, o BTI não tem efeito imediato. “O tratamento não afeta borrachudos que já estão voando e que terão sua vida alada normalmente”, explica Patricia Machado Sanches, supervisora da Vigilância em Saúde. “Após a aplicação do veneno, são entre 30 e 40 dias para começar a sentir os efeitos e observar a diminuição da infestação desses mosquitos”, completa.

As chuvas também têm atrapalhado os serviços. “O larvicida não tem efeito residual. Ele mata a larva posta ali no local. Mas, com as chuvas da última semana, o larvicida desce rio abaixo, sem ter o tempo de ação para matar a larva”, acrescenta Sanches. A reaplicação é feita a cada 15 dias. “A larva que não morreu porque a chuva levou o larvicida se tornará mosquito, que viverá o ciclo todo na fase alada normalmente”, finaliza.

Como prevenção às picadas, a principal recomendação é o uso de repelentes, além da instalação de telas para evitar a entrada de mosquito em casa.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social / PMU
Fonte: Secretaria de Comunicação Social / PMU